Estados Unidos

OBJETIVO

A electrostática trata dos fenômenos produzidos pelas cargas elétricas, cuja posição relativa permanece constante ao longo do tempo.

A electrostática é uma das partes da física que se ocupa dos campos elétricos e de modo geral dos fenômenos elétricos sem movimento de cargas. Ademais estuda as ações entre cargas elétricas fixas em pontos determinados do espaço e as que exercem estas no espaço circundante.

A electrización, sua transmissão de um corpo a outro, e as propriedades gerais dos corpos electrizados em equilíbrio é o objeto de estudo da electrostática.

MATERIAIS

  • Para o péndulo: Duas tabelas de madeira (base) de 10cm*10 cm., arames de 30 cm., fio, duas esferas de plumavit.

  • Regra plástica

  • Saca plástica

  • Copo de vidro

  • Barra metálica

  • Barra de madeira

  • Barra plástica

PRIMEIRA ATIVIDADE EXPERIMENTAL

Exercício

Atração entre os corpos

Repulsión entre os corpos

1

Não sucedio nada

Não sucedio nada

2

se

------------

3

se

Depois dos 10 segundos

4

Atração para a regra

Entre as esferas

SEGUNDA ATIVIDADE EXPERIMENTAL

12. O comportamento entre a barra de plástico e de madeira foram iguais, mas a de metal comportou-se totalmente diferente às anteriores, já que resultou um bom motorista de cargas elétricas.

  • Hipótese 1: o metal é um motorista de cargas elétricas.

Esta hipótese recém proposta pudemo-la verificar nas observações realizadas nos exercícios 6 e 7 desta segunda atividade.

  • Hipótese 2: a madeira e o plástico não são condutores de cargas elétricas.

Assim também esta segunda hipótese é comprovada ao ver que quando utilizamos barras de madeira ou plástico, não ocorria nenhuma mudança no péndulo.

CONCLUSÕES

A electrostática encarrega-se do estudo das cargas elétricas, as forças que se exercem entre elas e seu comportamento nos materiais.

A carga permite que exista o comportamento de atração e repulsión.

        Neste trabalho pôde ser concluído que: "as cargas elétricas iguais se repelen; as cargas opostas atraem-se".

Ademais esta experiência permitiu-nos diferenciar que materiais conduziam melhor as cargas elétricas.

Ao acercar a regra plástica pudemos experimentar a leve oscilação da esfera. O movimento para a regra foi de 1mm. Isto significa que o experimento não deu resultado algum , o qual poderia ser explicado porque as cargas de ambos objetos são neutras.

A regra plástica, tendo sido previamente esfregada com uma saca plástica, foi acercada à esfera. O resultado foi que a esfera se acercou imediatamente à regra até a atingir. Isto pode ser explicado que ao esfregar a regra esta se carregou e como a esfera possui carga neutra, estes se atraíram.

Esfregou-se novamente a regra, esta foi acercada até tocar o péndulo, novamente ambos objetos se atraíram. Ao esperar um par de segundos ( aprox.10 segundos) estes se separaram, o qual pode ser explicado a que a regra transmitiu sua carga à esfera, então ambos objetos combinaram com cargas iguais e se repelen.

A regra foi esfregada e primeiro acercou-se a uma esfera, esta se acercou à regra. Depois acercamos a regra à outra esfera e o efeito foi o mesmo que anteriormente. Posteriormente acercaram-se ambos péndulos, nos dando conta que as esferas se afastaram uma de outra.

Isto pode ser explicado a que a regra transmitiu a mesma carga à cada esfera, o qual produz que se repelen ao se acercar.

Esfregou-se a regra plástica com uma saca plástica e tocou-se com a regra o extremo livre da barra metálica, observando que a esfera se acercou mais à barra metálica.

Isto pode ser explicado que o metal é um motorista de cargas.

Retirou-se a regra da barra de metal, acontecendo que depois de uns segundos a esfera se afasto rapidamente da barra de metal, ficando em sua posição inicial. Como já não existe condução de cargas elétricas.

Agora se realiza a mesma experiência que no exercício seis, mas desta vez a barra será de plástico. Desta vez não existiu movimento algum da esfera, portanto a experiência não deu resultado algum. Isto se deve a que esta barra plástica seria um mau motorista de cargas elétricas

Neste exercício também se retirou a regra, da barra de plástico e também não existiu resultado algum. Como na experiência anterior também não observaram-se resultados, pela não condução de cargas elétricas.

Esta experiência consiste em pôr uma barra de madeira e novamente esfregamos a regra com uma saca plástica, a regra é acercada ao extremo livre da barra de madeira, não dando resultado algum; já que não existiu movimento da esfera. Novamente estaríamos em frente a um mau motorista de cargas elétricas.

Este exercício, consistiu em retirar a regra do extremo livre da barra de madeira, onde também não resultou algum. O qual se explica com o exercício 10, onde assinalávamos que a madeira não seria um motorista de cargas elétricas.

Para acessar o documento na íntegra, nós convidamos você a fazer o download do documento.
Descarregar
41 Kb
Compartilhar este documento :

Não há comentários para mostrar.

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar Agora
×