Instrumentos de laboratório

Química. Instrumentação. Beacker. Matraz aforado. Funil. Cano. Bureta. Malha. Escovas. Pinza. Refrigerante. Isqueiro. Pipeta. Caixa de petri. Infeção. Desinfetantes. Higiene

  • Enviado por: Esteban Mutis Manrique
  • País: Colômbia Colômbia
  • 8 páginas
publicidad
publicidad

RELATÓRIO DE QUIMICA

INSTRUMENTOS DE LABORATÓRIO:

1. BEACKER Ou COPOS PRECIPITADOS: É um elemento de vidro, este instrumento não serve para medir volumes exatos, este pode ser esquentado sem nenhum problema, pois seu material resiste altas temperaturas.

RECOMNEDACIONES DE USO:

  • Neste pode ser introduzido líquidos e igualmente sólidos.

  • Este é o instrumento de laboratório mas recomendado para transladar soluções, preparações, etc., de um recipiente a outro dentro do laboratório.

2. MATRAZ AFORADO: É um recipiente de vidro que se utiliza sobretudo para conter e medir líquidos, é um recipiente de vidro de forma esférica ou troncocónica com um pescoço cilíndrico, outro tipo de matraz aforado é o que tem forma de pêra e um pescoço longo e estreito com uma listra ou enrase que marca a capacidade exata do matraz a uma verdadeira temperatura, se utiliza sobretudo para preparar e conservar dissoluções de uma concentração determinada.

RECOMENDAÇÕES DE USO:

  • Este é utilizado em procedimentos que realmente o requeiram, já que por sua forma sua manipulação se faz um pouco complicada e requer do uso do suporte universal.

3. FUNIL DE DECATACION: É um elemento de vidro que separa líquidos de líquidos mísseis.

RECOMENDAÇÕES DE USO:

  • Após haver introduzido a mistura é recomendável esperar um momento para que os líquidos se separem, para que ao abrir a chave saia o líquido que baixo na parte de abaixo saia por médio da chave; tendo muito cuidado que não saia o outro liquido e se volte a misturar.

4. FUNIL: É um utensílio que permite filtrar substâncias.

RECOMENDAÇÕES DE USO:

  • Seu bico deve estar em ótimas condições para o passo de líquido.

5. CANO DE DESTILACIÓN: É um elemento de vidro, sua função é esquentar as substâncias para chegar até o poder separá-los após condensarlos.

6. MORTELO: É um elemento de porcelana serve para poder esmagar um objeto do que devamos extrair algum tipo de substâncias: como por exemplo para esmagar as folhas e poder sacar assim, parte das substâncias que o compõem.

7. BURETA: É um elemento de vidro instrumento que se utiliza em volumétria para medir com grande precisão o volume de líquido vertido, também se utiliza para fazer o processo de titulacion, é um cano longo de vidro, aberto por seu extremo superior e cujo extremo inferior, terminado em ponta, este provisto de uma chave. Ao fechar ou ao abrir a chave impede-se ou permite-se, inclusive gota a gota, o passo de líquido. O cano está graduado, geralmente em décimas de centimetrito cúbico.

Os dois tipos principais de buretas são as buretas de Geissler e as de Mhor. Nestas últimas a chave foi situada por um cano de borracha com uma borracha de vidro em seu interior, que atua como uma válvula, nas de Geissler, a chave é de vidro esmerilado; deve ser evitado que o liquido este muito tempo em contato com a bureta, pois determinados chegam a obstruir, e inclusive imobilizar, este tipo de chaves.

RECOMENDAÇÕES DE USO:

  • Os líquidos que pomos dentro da bureta não podem estar quentes pois do estar esta, poderia reventarse, já que seu material não poderia chegar a resistir temperaturas tão altas.

  • Antes de utilizar a bureta devemos cerciorarnos que a chave da bureta este bem fechada, que não tenha nenhuma classe de gotejo ao verter o liquido, também devemos nos assegurar de que a borracha da chave se encontre em bom estado, isto é que não este rompido.

  • Por nenhum motivo o bico da bureta pode estar vencido ou repicado, pois a medida que este nos possa dar vai ser completamente errônea.

8. MALHA: É uma teia de arame de forma quadrangular com a parte central recoberta de asbesto, com o objeto de conseguir uma melhor distribuição do calor. Utiliza-se para sustentar utensílios que se vão submeter a um aquecimento e com ajuda deste utensílio o aquecimento se faz uniforme.

9. ESCOVAS Ou CHURRUSCOS: servem para limpar os instrumentos de laboratório.

10. PINZA VARIÁVEL DE EXTENSÃO DE NOZ: Este utensílio apresenta duas nozes. Uma noz adapta-se perfeitamente ao suporte universal e a outra adapta-se a uma pinza para refrigerante daí deriva-se seu nome. Estão feitos de uma liga de níquel não ferroso

11. REFRIGERANTE Ou CONDENSADOR: É um elemento de vidro, #há de dois estilos um em serpentín e o outro online reta, serve para fazer passar as substâncias de gás a liquido, ou seja pára condensarse.

A magnitude que carateriza a um condensador é sua capacidade, quantidade de carga elétrica que pode armazenar a uma diferença de potencial determinado.

RECOMENDAÇÕES DE USO:

  • Deve ser feito circular água pelas paredes externas e internas, para desta forma arrefecer o vapor que por ali passa e se converta ali em água.

12. CANO DE ENSAIO: É um elemento de vidro, destes se podem ser esquentado existem dois tipos de canos, o primeiro é o utilizado na centrifuga, e o segundo serve parta obter gases já que este possui uma saliente alongada na parte superior do cano, por embaixo da boca do cano.

RECOMENDAÇÕES DE USO:

  • Recomenda-se apanhar o cano com umas pinzas de madeira, já que estas facilitam sua manipulação de um lado a outro.

  • Se vão utilizar-se vários canos ao mesmo tempo o mas recomendável séria pô-los em um porta canos, com a cada um destes marcados.

13. ISQUEIRO BUNSEN: este isqueiro de gás que deve seu nome ao químico alemão ROBERT W. BUNSEN fornece uma chama quente (de até 1500 graus centígrados), constante e sem fumaça, pelo que se utiliza muito nos laboratórios. Este formado por um cano vertical metálico, com uma base, cerca da qual tem a entrada de gás, o cano também apresenta um orifício para a entrada de ar que se regula mediante um anel que gira. Ao acender o isqueiro há que manter a entrada do ar fechada; depois vai-se abrindo pouco a pouco. Para desligar o isqueiro fecha-se o gás.

14. PIPETA DE MOHR Ou GRADUADA: É um elemento de vidro, ao igual que o tubo de ensaio serve para dar volumes exatos, com esta pipeta, podem ser medido diferentes volumes de liquido, já que leva uma escala graduada.

RECOMENDAÇÕES DE USO:

  • Unicamente utiliza-se puros ou que não contenham partículas sólidas.

  • Deve ser utilizado a pipeta apropriada dependendo da quantidade do líquido que se vá medir para uma medida mais exata.

15. PIPETA VOLUMETRICA Ou DE VERTIDO: É um elemento de vidro, que possui um único enrase circularem sua parte superior, pelo que só pode medir um volume.

RECOMENDAÇÕES DE USO:

  • Unicamente utiliza-se puros ou que não contenham partículas sólidas.

  • Deve ser utilizado a pipeta apropriada dependendo da quantidade do líquido que se vá medir para uma medida mais exata.

16. GOTERO: São de cor branco ou âmbar. Servem para guardar de uma maneira segura os reativos, regularmente administra-se com conteo de gotas. GOTERO: Consiste em um pequeno cano de vidro e em um de seus extremos tem um capuchón de oleado, que permite succionar ou arrojar as soluções. É realmente singelo seu uso, embora em ocasiões, como não se tem presente algumas advertências, se chegam a perder a mistura dos líquidos. De sorte que deve ser mantido sempre limpo o gotero; por tanto, há que o lavar após a cada manipulação.

17. FUNIL DE BUCHER: São funis de porcelana ou vidro de diferentes diâmetros, em sua parte interna coloca-se um disco com orifícios, nele se colocam os meios filtrantes. Utiliza-se para realizar filtrações ao vazio.

18. ISQUEIRO DE PRIMMI:

19. FUNIL DE POLIETINENO: É um utensílio que apresenta um diâmetro de 90 mm. Utiliza-se para adicionar substâncias a matraces e como médio para filtrar. Isto se consegue com ajuda de um médio poroso (filtro).

20. TRIANGULO DE PORCELANA: como seu nome o indica este constituído por porcelana, é o que se utiliza para pôr a capsula de porcelana dentro deste se se vão fazer certos processos como o de fundir ouro, já que o que o triangulo faz é servir de sustente para poder sustentar a capsula.

21. GRADILLA PARA CANOS DE ENSAIO: Há de madeira e de metal e servem para poder organizar os canos de ensaio.

22. LIMA TRIANGULAR: É um elemento jogo de metal serve para poder apanhar objetos pequenos.

23. CAPSULA DE PORCELANA: Este constituído por porcelana, serve para esquentar algumas substâncias já que suporta elevadas temperaturas.

RECOMENDAÇÕES DE USO:

  • Ao usar a capsula de porcelana deve ser tido em conta que esta não pode estar vencida, pois caso contrário, poderia chegar a estourar.

24. MICROSCÓPIO: instrumento que se utiliza para obter uma imagem aumentada do objeto minúsculo ou detalhes muito pequenos dos mesmos.

25. TUBO DE ENSAIO: Instrumento de laboratório que se utiliza, sobretudo em análise químico, para conter ou medir volumes de líquidos de uma forma aproximada, é um recipiente cilíndrico de vidro com uma base larga, que geralmente leva na parte superior um bico para verter o liquido com maior facilidade.

Os tubos de ensaio costumam ser graduadas, isto é levam gravada uma escala pela parte exterior que permite medir um determinado volume, embora sem muita exatidão quando se requer uma maior precisão se recorre a outros instrumentos, por exemplo as pipetas.

RECOMENDAÇÕES DE USO:

  • Para fazer uma medição perfeita, ao usar o tubo de ensaio esta deve estar em um local totalmente plano, para evitar erros na leitura que se vai fazer.

  • O tubo de ensaio não pode estar desportillada, pois pode alterar a medida.

  • Tem-se que usar o tubo de ensaio adequado dependendo da quantidade de substâncias que um vai utilizar.

26. ESPATULA: serve para poder recolher os resíduos das substâncias que ficam aderidas em algum local.

27. ARO DE FERRO: É um anel circular de Feroz que se adapta ao suporte universal. Serve como suporte de outros utensílios como: Copos de precipitados., Funis de separação, etcétera. Fabricam-se em ferro colado e utilizam-se para sustentar recipientes que se vão esquentar a fogo direto.

28. PINZAS DUPLO METÁLICA PARA BURETA: são de metal e como seu nome o indica serve para sustentar a bureta

29. ERLENMEYER: são recipientes de vidro de forma troncocónica que se utiliza no laboratório para medir ou conter líquidos, pode ser esquentado.

RECOMENDAÇÕES DE USO:

  • Como suas funções não são tão especifica, deve ser tratado com muita cautela

  • Sua forma permite que seja apoiado em superfícies planas e duras, o qual marca uma grande diferença com o MATRAZ AFORADO.

30. PINZAS DE MOSS: usam-se para fixar os canos de ensaio que são postas ao fogo para aumentar a temperatura das soluções que estão contidas nele,

31. TAMPAS: Podem ser de cortiça e servem para tampar embalagens.

32.

33. PINZAS: permitem sujeitar os elementos ou materiais pequenos e algum composto sólido obtido, em sua elaboração. Por sua disposição de ponta-curva ajuda a prender aqueles grumos cristalizados em um recipiente.

34. PINZA PARA CRISOLES TESOURAS: São de metal yPermiten sujeitar crisoles.

35. ISQUEIRO DE ÁLCOOL: É um elemento de combustão que se utiliza em um laboratório para fazer combustão.

RECOMENDAÇÕES DE USO:

  • quando o estopim se encontre acendida, esta não deve ser soprado, pois se o fazemos podemos causar que a chama se agrande demasiado causando assim talvez um incêndio.

36. ERLENMEYER COM DESPRENDIMENTO NATURAL: É de vidro e é de parede grossa, com uma tubuladura lateral. Na boca acopla-se, mediante uma cortiça furada o butchner, e à tubuladura, mediante uma borracha, a trompa de água (ou trompa de vazio). Desta forma consegue-se filtrar substâncias pastosas.

37.

38. CAIXA DE PETRI: É a que se utiliza para fazer cultivos de vírus e bactérias.

RECOMENDAÇÕES DE USO:

  • Deve ser tido cuidado ao ter ao realizar estes experimentos pois por seu mau uso poderia haver expansão dos vírus.

39. VIDRO RELÓGIO: Sua função é a de esquentar, e ao fazer isto fazer evaporação, também é utilizado para fazer o processo de cristalização em certas substâncias.

O vidro relógio utiliza-se também em ocasiões quando alguns líquidos fazem combustão sobre este, se põe em cima do vidro relógio outro mas ainda mas grande que o anterior que é onde se produz o processo de combustão, para que este se acabe e não cause se maiores dificuldades das que se podem haver causado já.

40. VARETA DE AGITACION: A vareta de agitação é de vidro.utiliza-se para agitar as dissoluções com varetas ocas, mediante seu aquecimento com o isqueiro e posterior estiramento, conseguem-se capilares. Há que ter cuidado com o vidro quente, já que por seu aspeto não se diferencia do frio e podem ser produzido queimaduras.

41. PINZAS DE EXTENCION Ou PARA CRISOL: Serve para poder agarrar o crisol

42. PIPETA GOTERO: É um elemento de vidro, pode transvasar pequenas quantidades de líquido, de um recipiente a outro, quando não é necessário realizar medições. Sua função é a mesma que a de um gotero.

43. SUPORTE UNIVERSAL: Pode-se-lhe pôr todos os instrumentos que um queira e contém uma grande variedade de pinzas.

44. PINZA PARA CANO DE BORRACHA: É um elemento metálico serve para prensar canos de borracha sem causar-lhe dano