Estados Unidos

INTRODUÇÃO Aos MERCADOS FINANCEIROS

  • Um exemplo pratico

Se queremos adquirir uma ação da empresa Terra-Lycos, como poderíamos conhecer o verdadeiro valor? Em teoria teria que estimar os fluxos de caixa que promete gerar a empresa, o que a sua vez implicaria ter os suficientes conhecimentos do mercado de Internet e do comércio eletrônico como para poder averiguar quantas páginas se vão visitar e quais serão os rendimentos que se obterão pela cada página visitada, qual será o gerenciamento da companhia, etc, entre outros aspetos. Se o mercado financeiro é eficiente, os preços refletirão toda a informação conseguida pelos participantes no mesmo, isto é, o preço de uma ação de Terra-Lycos mostrará o verdadeiro valor da companhia, já que toda a informação que precisamos conhecer para valorizar dito título, já está refletida no preço graças à atuação de um grande número de compradores e vendedores.

Nos Mercados Financeiros, ao encontrar-se a oferta e a demanda de ativos ou instrumentos financeiros, fixam-se seus preços de equilíbrio. O preço de um ativo financeiro vem determinado, essencialmente, por dois fatores: o tempo que se demorarão em recuperar os fundos cedidos, e o risco em que incorre o investidor ao comprar o ativo.

Recorde.- Os Mercados Financeiros são o ponto de encontro dos investidores para realizar as contraventas de ativos financeiros, fornecendo utilidade a todas as partes.

Quando se adquire um ativo financeiro, se espera obter uma corrente positiva de rendimentos durante a vida do ativo. Essa corrente ou fluxos de rendimentos será de um tipo ou outro dependendo da natureza do ativo. Se trata-se de um bônus, tomará a forma de rendimentos periódicos por interesses e devolução da quantidade prestada ou principal; se trata-se de um pagarei, será a cobrança única que se espera a seu vencimento, e se compreenderá a devolução da quantidade cedida e os interesses acumulados; se é uma ação, serão as cobranças dos dividendos e revalorização de seu preço esperado.

Como o tempo valha dinheiro, quanto mais longo seja o prazo de vida de um ativo, maior retribuição exigirá o investidor por seus fundos. Ademais, como os investidores não são amantes do risco, quanto mais incerta seja a recuperação de seu investimento e a obtenção de ganhos, mais exigirão por ceder seus recursos. A partir de #dois fatores, nos mercados determina-se um preço para a cada prazo e para a cada risco dentro do qual pode ser enquadrado a cada ativo financeiro.

Recorde.- Os Mercados Financeiros permitem o encontro entre oferentes e demandantes de recursos financeiros, estabelecem preços para os fundos cedidos de acordo com o prazo e risco, dotam de liquidez aos ativos e reduzem seus custos de negociação.

  • Que são os mercados financeiros?

Um mercado financeiro é um mecanismo eletrônico ou local físico no que se realizam transações com ativos financeiros.

Qualquer economia tem dois tipos de mercados: o Mercado de bens e serviços, e o Mercado de trabalho e capital; uma parte deste último está constituída pelo Mercado Financeiro. Nos Mercados Financeiros trocam-se ou negociam ativos financeiros.

As funções dos Mercados Financeiros são cinco:

1 - Transferência de fundos desde aquelas pessoas ou instituições que têm excesso dos mesmos, para aquelas que têm necessidade de fundos para adquirir ativos.

2 - A transferência de fundos, de tal forma que se redistribua o risco associado com a geração dos fluxos de caixa dos ativos entre os que buscam financiamento (emissores) e os que a fornecem (investidores).

3 - Valorizar os incentivos financeiros, através da interação entre compradores e vendedores. Este processo financeiro também determinará o rendimento requerido de um ativo financeiro. Por tanto, o desejo de captar fundos por parte das empresas dependerá do rendimento que os investidores esperem obter a mudança, de tal maneira que os Mercados Financeiros indicarão como têm de se reassociar os fundos entre as partes intervinientes.

Esta função recebe o nome de formação de preços.

4 - Fornecer liquidez, isto é, facilitar compra-a ou venda dos ativos financeiros. Se um ativo carecesse de liquidez, o investidor se veria obrigado a manter o título até que o emissor o amortizasse totalmente ou bem se liquidasse a empresa, no caso particular de ações.

Por exemplo, se não existissem mercados onde negociar os ativos financeiros, o investidor que comprasse um bônus a 10 anos, teria que conservar até seu vencimento. O ter imobilizados seus recursos durante tanto tempo lhe suporia um custo de oportunidade, pois estaria renunciando a investir seus recursos em qualquer outra oportunidade de investimento que surgisse durante esses dez anos. Se este fosse o caso, o investidor exigiria ao emissor uma taxa de juro maior que lhe compensará por este custo de oportunidade.

Recorde.- Todos os mercados financeiros fornecem liquidez, mas não com a mesma intensidade; isto é, pode ser mais ou menos fácil comprar ou vender um ativo.

5 - A redução dos custos de transação. Estes se dividem em duas classes: os custos de busca e os custos de informação.

Os custos de busca de contrapartida representam custos explícitos, tais como o dinheiro empregado em anunciar que se deseja comprar ou vender um determinado ativo financeiro, ou custos implícitos, tais como o valor do tempo empregado na busca de alguém que queira comprar ou vender o ativo em questão.

Os custos de informação sobre os ativos estão associados à quantidade e à probabilidade de que se gerem os fluxos de caixa esperados.

Na seguinte unidade didática lhe explicaremos um exemplo para aplicar estes conteúdos.

  • Elemento dos mercados financeiros

Aos Mercados Financeiros vão as empresas (ou qualquer outra unidade de despesa deficitaria) que precisam fundos para financiar seus projetos produtivos; os poupadores dispostos a ceder seus recursos a mudança de uma compensação; e os intermediários financeiros que se interpõem entre os dois agentes anteriores para fazer possível que a transação tenha local.

A figura do intermediário é de vital importância nos Mercados Financeiros. As empresas e os poupadores vão ao mercado com propostas de demanda e de oferta de fundos que não se adecuan necessariamente a uma à outra. Acomodar os desejos de uns e outros será função dos intermediários financeiros.

Ponhamos um exemplo.- Uma empresa pode precisar 100 milhões de euros a 2 anos, pelos que está disposta a pagar uma taxa de juro variável que refleta/reflita a evolução das taxas de juro a três meses. Os poupadores, pelo contrário, podem desejar investir seus recursos em dólares a uma taxa de juro fixa, e a um prazo não inferior a três anos. Por realizar este labor de intermediação perceberá uma retribuição ou margem de intermediação.

Mas o intermediário, ao tomar estas posições como prestamista e como prestatario, assume o risco de reposicionar os 100 milhões obtidos dos poupadores quando vença o empréstimo da empresa, e o risco de que as taxas de juro de uma ou outra operação evoluam de maneira diferente e contrária a seus interesses. Suporta, igualmente, o risco de tipo de mudança entre o euro e o dólar.

Ante estes riscos, o intermediário pode optar por assumí-los por conta própria e ver que acontece. Neste caso, se as condições resultam a seu favor, obterá uma alta rentabilidade pelos riscos assumidos que se somarão aos riscos obtidos por seu labor de intermediação. Se, pelo contrário, o intermediário não quer assumir esses riscos, pode ser coberto de todos ou parte deles indo, a sua vez, aos Mercados Financeiros.

Recorde.- Os elementos que intervêm nos Mercados Financeiros são as unidades de despesa deficitarias, as unidades de despesa com superávit, e os intermediários financeiros.

  • Tipos de mercado financeiro

Os Mercados Financeiros admitem diversas classificações em função do critério ao que se atenda:

-Segundo o prazo dos ativos que neles se negociem, os Mercados Financeiros recebem diferentes denominações: mercados monetários e mercados de capital.

-Segundo o momento de entrega do ativo financeiro, falaremos de mercados de contado ou de derivados (ou a prazo).

-Em função de que os direitos financeiros negociados se acabem de emitir ou de que se troquem direitos previamente emitidos, distinguidos entre mercados primários e secundários.

-Atendendo aos direitos financeiros que neles se negociam, encontramos mercados de renda fixa e mercados de renda variável.

-Segundo troquem-se divisas ou só ativos denominados em moeda nacional, teremos mercados de divisas ou mercados domésticos.

Em próximos e-mails se desenvolverão de forma mais pormenorizada as diferentes classificações dos Mercados Financeiros atendendo aos diferentes critérios mencionados anteriormente.

 

Para acessar o documento na íntegra, nós convidamos você a fazer o download do documento.
Descarregar
49 Kb
Compartilhar este documento :

Não há comentários para mostrar.

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar Agora
×