Estados Unidos

ONCOLOGIA RADIOTERAPICA PALIATIVA.

OBJETIVOS

  • Melhorar a QUALIDADE DE VIDA do paciente sem alterar de forma significativa sua vida quotidiana

  • Rápida melhoria dos sintomas.

  • O tratamento deve ser facilmente aplicável e reproducible.

  • Deve ser iniciado o antes possível.

RT PALIATIVA VS. RT CURATIVA

CARACTERÍSTICS

RT. PALIATIVA

RT. CURATIVA

População

Pacientes incurables

Pacientes curables

Objetivo

Alívio de sintomas

Eliminação tumor

Medida resultados

Superv. Sem compl.

SLE

Período risco

Meses (maioria)

Anos (maioria)

Dose

<40 Gy

>40 Gy

Dose/fração

>2 Gy

2 gy

  • Radioterapia em metástasis ósseas, um dos principais analgésicos em ontología.

  • Síndrome de compressão medular, o paciente pode perder sensibilidade dependendo da zona de afeção.

  • RT em metástasis cerebrais

  • Paliación de sintomas em tumores avançados com por exemplo dor, hemorragias não controlables.

1. METÁSTASIS ÓSSEAS

    • Incidência 24-30%

    • Terceira localização metastasica (hepáticas, pulmão)

    • Câncer de mama e próstata os mais frequentes

    • Localização fundamental: coluna, pelvis, costelas, fémur, húmero

CLÍNICA

  • Dor.

  • Por destruição do osso e crescimento tumoral

  • Mais intenso pela noite e aumenta com a atividade

DIAGNÓSTICO

  • Gammagrafía óssea. Técnica mais sensível

  • Outras: RX simples, TAC, RNM

TRATAMENTO

  • Analgésicos e antiinflamatorios

  • Quimioterapia sistémica

  • Hormonoterapia

  • Bifosfonatos

  • Cirurgia

  • Radioterapia

  • Analgésicos e antiinflamatorios.

  • Tratamento sistémico (analgésicos QT e HT), quando há numerosas áreas de afetação óssea.

  • Bifosfonatos. Empregam-se para o tratamento da hipercalcemia. Não interferem com os quimioterápicos

  • Cirugia.

  • Importante em metastasis de coluna vertebral.

  • Laminectomía. Em compressão medular ou mielopatia com histología tumoral desconhecida.

  • Estabiliza a coluna com técnicas de fixação segmentaria.

  • Em lesões líticas de ossos longos, recomenda-se a fixação quirúrgica, prévia à RT

  • Radioterapia.

    Objetivos:

  • Aliviar a dor

  • Reduzir a necessidade de analgesia

  • Prevenir o desenvolvimento de fraturas patológicas

  • Melhorar a mobilidade do paciente

  • Pára o crescimento do tumor e reduz a pressão dos tecidos periféricos. (Compressão tumoral)

  • Alivia a dor no 80-90%. A melhoria obtém-se entre 3-10 dias depois do tratamento.

  • Fracionamentos. 10x3Gy, 1x 8 Gy, 5x4 Gy..

  • Técnica.

        • Incluir as áreas de afetação com margem

        • TAC simulação com sistemas de inmovilización

        • Tatuar o centro do campo e um dos limites.

    1.1. METÁSTASIS VERTEBRALES .

    • Cervical. 2 campos laterais, paralelos e opostos

    • Dorsal e lumbar. Campo direto posterior ou 2 campos

    • Margem do campo. Limite superior e inferior em um espaço intervertebral

    • Cálculo da dose. Segundo a localização da lesão (TAC)

    1.2. METASTASIS OSEAS PELVICAS.

    • 2 campos (AP/PA), com proteção central

    • Cálculo de dose a plano médio.

    1.3. METASTASIS DE OSSOS LONGOS.

    • 2 campos (AP/PA)

    • Cálculo de dose em ponto médio

    1.4. METASTASIS EM BASE DO CRANEO.

    • 2 campos laterais e opostos

    • Proteção ocular

    • Cálculo ao isocentro

    2. IRRADIACION HEMICORPORAL.

    • Irradiación de grandes volumes com moderada toxicidad hematológica

    • Quando há afetação óssea múltipla que não responde a outros tratamentos.

    3. RADIONUCLEIDOS (Sr89 ou Sa).

    • Câncer de próstata com metástasis ósseas

    • Doença metastásica refractaria ao tratamento endocrino

    • Dor com progressão da doença

    • Localizações dolorosas a ambos lados do diafragma

    • Hipercaptación gammagráfica múltiplo

    4. SÍNDROME DE COMPRESSÃO MEDULAR.

    • Por afetação vertebral anterior frequentemente

    • Tumores: Pulmão, mama, TOD, linfomas

    • Clínica: Dor radicular, focalidad neurológica e/ou debilidade

    • Importante o diagnóstico precoz. RNM

    Tratamento

  • Ante a suspeita, começar com corticoides

  • Tratamento quirúrgico. Vertebroplastia. Laminectomía

    • Ausência de diagnóstico histológico

    • Progressão durante a irradiación

    • Instauración brusca do quadro neurológico

    • É preferível a RT posterior

    • Radioterapia

      • O tratamento combinado é superior

      • Para carcinomas, doses totais de 30-45 Gy (2-2.5 Gy/F)

      • Para linfomas 25-30 Gy

      • Os resultados dependerão de :

          • Severidad e duração pré-tratamento

          • Rapidez de instauración do quadro clínico

          • Histología. Mieloma e linfoma melhor que carcinoma

      5. FRATURA PATOLÓGICA

      • Produz dor e imagem lítica radiológica

      • Ossos longos

      • Tumores de mama, pulmão e próstata

      • 1º Estabilização quirúrgica seguido de RT.

      6. METÁSTASIS CEREBRAIS

      • Complicação neurológica mais frequente em pacientes com câncer

      • 40% neoplasias cerebrais em adultos

      • Em tumores de PULMÃO, MAMA, melanomas, rim e digestivo

      • Geralmente supratentoriales e múltiplos

      Tratamento.

    • Depende de fatores como: número, localização, atividade do tumor primário, estado geral do paciente, idade.

    • A RT é um tratamento paliativo, que pode reverter os sintomas neurológicos de maneira prolongada

    • Superioridade da cirurgia+ RT à RT exclusiva em sobrevivência, controle local e estado neurológico

    • Importância da radiocirugía

    • Técnica de irradiación

      • Decúbito supino+ máscara termoplástica

      • Marcação de isocentro e desenho dos campos de tratamento.

      • Campos: Laterais, isocéntricos, paralelos e opostos, incluindo todo o conteúdo encefálico

      • Energia: Fotones4-6 MV

      • Dose: 30Gy/10 fr, 30 Gy/15fr

      7. RADIOCIRUGÍA

      • A maioria são metástasis únicas<3.5cm.

      • Número estabelecido de lesões, 3

      • Resgate de pacientes com metástasis solitárias recorrentes, depois de irradiación prévia

      • Adyuvante a cirurgia após recidivas

      • Como boost após RT holocraneal

      • Alternativa a cirurgia em áreas pouco acessíveis

      8. PALIACIÓN DE SINTOMAS EM TUMORES AVANÇADOS

      Câncer de pulmão

      • Obstrução bronquial que produza disnea ou atelectasia

      • Hemoptisis

      • Dor torácico

      Síndrome de veia cava superior (SVCS)

      • Trombose da VCS por neoplasias (pulmão, linfomas)

      • Com RTE convencional um 75% apresentam melhoria clínica

      Hemorragia urinaria ou rectal

      • Pode remeter o sangrado

      • Risco de perfuração, estenosis, aderências

      Sempre após a falha de outra técnica.

    Para acessar o documento na íntegra, nós convidamos você a fazer o download do documento.
    Descarregar
    56 Kb
    Compartilhar este documento :

    Não há comentários para mostrar.

    Crie uma conta ou entre para comentar

    Você precisar ser um membro para fazer um comentário

    Criar uma conta

    Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


    Crie uma nova conta

    Entrar

    Já tem uma conta? Faça o login.


    Entrar Agora
    ×