Estados Unidos

 

Etapa Precursora da Rádio

 

O aparecimento da rádio não se produz de forma direta. Seu invento, desde um ponto de vista tecnológico, não pode ser atribuído a uma só pessoa, senão que é consequência de várias contribuições ao longo do tempo. Desde um ponto de vista social, o uso que se lhe dá mais tarde à rádio não é o mesmo que em suas origens.

 

     Há uma série de inventos unidos à telegrafía sem fios que vão influir no nascimento da rádio. Durante o século XIX já se conheciam perfeitamente sistemas de transmissão de sinais mediante fios (como o Morse), bem como sinais ópticos produzidas pela luz.

 

     Todos estes procedimentos estavam baixo o controle dos estados. Só ao final da telegrafía sem fios, o estado permite que se lhe desse outro uso aparte do político e militar. O comércio começa a desfrutar desta forma de comunicação devido à necessidade da burguesía de beneficiar deste sistema.

 

     Podemos considerar  Faraday e a Joseph Harry como precursores da telegrafía sem fios. O primeiro, em 1837 descobre os campos de propagación da corrente elétrica; o segundo, em 1842, a natureza oscilatoria dos downloads elétricos.

 

     O desenvolvimento da telegrafía sem fios podemos dividí-las em três partes:

 

-         Descoberta das ondas hertzianas

-         Novas contribuições à telegrafía sem fios

-         Marconi

 

.  - Descoberta das Ondas Hertzianas -

 

Este fato produz-se principalmente pelas contribuições de Maxwell e Hertz na descoberta das ondas hertzianas. Em 1864, Maxwell desenvolve o princípio teórico das ondas hertzianas. Isto é, apresenta como se desloca a corrente elétrica segundo as linhas de força descobertas por Faraday. Assim mesmo, apresenta o conceito de Éter , local por onde se deslocam estas ondas (ar, espaço...).

 

Este princípio teórico tem sua aplicação prática em 1888 com Hertz, já que consegue criar um campo electromagnético. Ademais, detecta e mede ondas electromagnéticas (ondas hertzianas). Dele é o conceito de longitude de onda : a cada onda tem longitudes diferentes que são estudadas, medidas e entendidas por Hertz. Chega à conclusão de que a cada onda tem caraterísticas diferentes de transmissão e recepção.

 

- Novas Contribuições à Telegrafía sem Fios -

 

Nesta etapa destacam as contribuições de:

 

-         Branley: em 1891 inventa o Cohesor. É um sistema que aperfeiçoa a recepção das ondas electromagnéticas. #Discriminar que ondas querem ser recebido e quais não. Isto é, permite escolher uma frequência.

 

-         Lodge: em 1894 aperfeiçoa a sintonización das ondas.

 

-         Alexander Popoff: inventa a antena de recepção em 1895, pelo que se produz uma ampliação do campo de recepção.

 

- W. Marconi -

 

É considerado o inventor da telegrafía sem fios. Os inventos das etapas anteriores unifica-os e dá-lhes um uso. Podemos dividir o desenvolvimento em três etapas:

 

-         Investigação

-         Comercialização

-         Monopólio

 

.  - Investigação -

 

Vai trabalhar em dois países: sua Itália natal e no Reino Unido. Nesta fase há que ter em conta dois aspetos importantes de Marconi: pertence a uma família de boa situação social, pelo que não vai ter problemas econômicos para levar a cabo suas investigações; por outro lado, conhece e segue a Hertz.

 

Suas investigações nascem na Itália baixo os lucros de Hertz. Nesta primeira etapa consegue uma hábil utilização dos experimentos anteriores. Neste momento, consegue uma comunicação inicial de 1700 metros em telegrafía sem fios. Pede ajuda ao governo italiano, mas este lhe nega todo apoio oficial apesar de conseguir por ver primeira a comunicação sem fios.

 

Apesar destes lucros, deve busca apoio institucional. Encontra-o no Reino Unido, quem outorga-lhe ajuda econômica e técnica do Escritório de Correios, Telégrafos e Telefones Britânica. O 2 de Junho de 1896 patenteia seu invento, conseguindo uma comunicação de 6 Km. Ao ano seguinte, essa distância aumenta até os 15 Km. No Canal de Bristol. Esta última distância faz-se por vez primeira ante a opinião pública. Em 1897 outorgam-lhe a patente definitivamente.

 

Esta nova forma de comunicação carateriza-se por:

 

-         Telegrafía sem fios

-         Médio mais barato

-         Longo alcance

-         Transmissão instantânea

-         Possibilidade de estabelecer comunicação em locais inacessíveis geograficamente

 

Desde seu começo, Marconi busca sacar rentabilidade econômica a sua invento. O uso social que se lhe dá em um princípio está longe do de entretenimento. Esta comunicação usava-se com fins institucionais, estatais, militares e de segurança de modo geral.

 

.  - Comercialização -

 

Quando Marconi obtém a patente, começa a comercialização. Para isso, creia em 1897 a companhia Marconi Wireless and Telegraph com uma grande capital social. É diretor técnico e com um 50% de participação na companhia. Seus clientes eram os estados, a marinha de guerra, a proteção costeira... O material só era manejado por pessoal da companhia, pelo que os clientes deviam contratar também a um empregado.

 

Pouco a pouco, o uso social deste sistema vai-se estendendo. Da marinha militar passa à mercantil. Assim mesmo, oferece comunicação instantânea à imprensa, como ao Daily Express ou New York Herald. Aqui começam os inícios dela telegrafía sem fio à radiodifusión.

 

Nesta etapa há melhorias técnicas que permitem ver as possibilidades do novo médio:

 

-         Aperfeiçoam-se os sistemas de sintonización

-         Produz-se um enlace com o Atlântico

-         Há aplicações econômicas do invento: informação bursátil instantânea

-         Criam-se estações e redes no continente europeu

 

-Monopólio -

 

Marconi pretende que sua companhia tenha o monopólio na comunicação de telegrafía sem fios. Para isso, terá que se enfrentar com diferentes companhias de outros países. Por exemplo, na França estão Bradley, Ferrier e Ducretet, cuja companhia comercializa no Mediterrâneo. Na Alemanha, o precursor é Adolf Slaby. Ali, em 1903 funda-se à companhia Telefunken, que concorre contra a de Marconi. Na Itália há liberdade de uso da patente porque Marconi presenteia-a.

 

O monopólio de Marconi começa desde 1903. Sua companhia vê-se envolvida em pleitos com o resto dos outros países. Parte de uma situação de privilégio, já que tem uma maior implantação (tem mais estações, sítios e barcos). Para poder impor seu monopólio, proíbe a comunicação com outras companhias.

 

Dentre todos os pleitos, há que destacar o que teve com contra a Companhia de Correios Britânica. Juridicamente, ganhou o caso, pelo que a companhia de Marconi obteve o monopólio em todo o Império Britânico.

- Conferências Radiotelegráficas Internacionais -

 

Os países sentem a necessidade de reunir-se e ver que é o que passa com este novo médio. Têm o desejo de acabar com o monopólio, porque, entre outros motivos, é um médio que não tem fronteiras geográficas devido a sua própria natureza.

 

As primeiras das reuniões é a Conferência Preliminar, celebrada em Berlim em 1903. o objetivo desta é evitar as interferências (onde podem ou não podem emitir) e a luta contra os monopólios. O resultado foi:

 

-         Lembra-se a liberdade de correspondência de intercâmbio de telegramas entre os barcos e estações costeiras de todo tipo.

 

Este protocolo final não é assinado por Itália e Inglaterra, já que possuem a patente de Marconi. Por conseguinte, devido a estes resultados tão pobres, é necessário celebrar outra conferência.

 

Assim, em 1906, se celebra a Primeira Conferência. Os países que assistem são 29 (a diferença dos 9 que foram à primeira), como a telegrafía sem fios se estabeleceu rapidamente. Seu objetivo é lutar contra os monopólios. Pretende-se estabelecer a estrutura de um novo organismo internacional: a União Radiotelegráfica Internacional, como, como é um médio muito cambiante, é necessário uma organização permanente que controle a situação.

 

Os resultados foram:

           

-         Constituição de uma união

-         Encomendam-se umas tarefas consultivas e executivas a esta organização

-         Estabelece-se o S.o.Séc. (Sinal Internacional de Socorro).

 

Pouco tempo depois, surge a necessidade de fazer outra reunião, já que o monopólio não se rompeu. Rompe-se a partir da Segunda Conferência, celebrada em Londres em 1912 à que assistem 43 países.

 

Seu objetivo é romper os monopólios, coisa que se consegue. Assim, pode ser estabelecido comunicação com operadores de diferentes companhias. Ademais, estabelece-se um  novo convênio, no que se pretende que todos os barcos levem uma equipe radiofónico capaz de receber e emitir (muito influído pelo afundamento do Titanic). Isto não se consegue, mas sim levam estações de escuta.

 

O progresso científico o uso social que se lhe dá a este novo médio, faz com que se tenham que atribuir as frequências a diferentes serviços. Por conseguinte, dão-se novos usos, como as partes metereológicos, os sinais horários...

 

Há rasgos gerais que caraterizam a estas conferências:

                       

-         Ordenamento internacional da telegrafía sem fios

-         Acaba-se o monopólio, o que possibilita:

-     Aceleração dos avanços técnicos

-     Criação de novos usos.

-         O controle da telegrafía vai passar do controle das empresas ao controle dos estados

 

- Balbuceo Radiofónico -

 

O antecedente da radiodifusión é um dispositivo técnico chamado radioteléfono. Conhece-se desde 1901 que se carateriza por ser uma telegrafía sem fios mas de caráter individual. A partir de 1920, os termos de radioteléfono e radiodifusión vão estar totalmente definidos: o primeiro refere-se a um uso individual; o segundo, a um coletivo.

 

            O passo da telegrafía sem fios à radiodifusión tem três grandes precursores:

 

-         Lê de Forest

-         Frank Conrad

-         David Sarmoff

 

- Lê de Forest -

 

Destaca por suas contribuições tecnológicas. Seu maior lucro foi um sistema de amplificación na recepção. Podem ser captado emissoras a cada vez mais longínquas. Apresenta seu invento em 1908 em Paris a empresários e políticos. Em Nova York apresenta seus avanços em 1916.

- Frank Conrad -

 

Seus avanços são técnicos. Põe em marcha a emissora, dotando à rádio de conteúdos. Nascem as emissoras musicais mais ou menos como as entendemos hoje em dia. A música emitida é a requisitada pelos ouvintes. Conrad também introduz publicidade em suas emissões.

 

A partir destes momentos, tanto as companhias eletrônicas como os próprios aficionados vão criar suas próprias rádios. Nestes momentos há já um público. A partir de 1919, a rádio começa-se a encher de conteúdos.

 

O sucesso da emissora de Conrad é tão grande que nem o próprio autor não lho achava. É assim, que já começa a fazer emissões mais regulares. Devido à fama, a companhia Wertinghouse encarrega a Conrad a posta em marcha de uma nova emissora, a KDKA, em Pittburg. Esta é considerada a primeira emissora de radiodifusión..

 

As emissoras pertencem às companhias elétricas que vendiam aparelhos de rádio. A posta em marcha de emissoras só era uma desculpa para que se comprassem receptores.

 

.  - David Sarmoff -

 

Tem um golpe de sorte quando trabalha como operador da companhia Marconi. Sua estação e seu turno recebe informação dos navios que ajudam ao Titanic. Ele se encarrega de difundir os acontecimentos a toda Norteamérica. Converte-se, assim, em uma celebridade nacional.

 

Acompanhando o fuete sentimento nacionalista que tinha em USA, Sarmoff oferece a Marconi sua idéia da rádio como a venda de caixas de música. A companhia recusa tal proposta, devido à escassa visão comercial de Marconi.

 

Este projeto põe-se emoldura com a companhia RCA. Nasce em 1919 e será consequência da ruptura da companhia Marconi em Norteamérica e pelos nacionalismos que se dão ali. As estações em USA vão fazer parte da RCA. Assim sim é possível que Sarmoff leve a cabo sua idéia comercial.

 

Por conseguinte, entre 1919-1920, a RCA e a Westinghouse (com a KDKA) vão pôr em marcha a rádio tal e como a entendemos hoje. A partir de 1920 inclui-se o conceito de programação. Carateriza-se por:

 

-         Promovem a fabricação e venda de receptores

-         A rádio assenta-se à audiência coletiva

-         Emissões com periodicidade

-         Possui regularidade

-         Melhoria nas condições de recepção, que se produz no âmbito doméstico, o que facilita que a rádio seja um médio de massas.

-         Qualquer mensagem pode ser transmitido (som, música, palavra...)

-         Vão alargar-se os conteúdos do novo médio: a informação começa a ser um elemento importante na rádio, como são as eleições norte-americanas.

 

Para acessar o documento na íntegra, nós convidamos você a fazer o download do documento.
Descarregar
59 Kb
Compartilhar este documento :

Não há comentários para mostrar.

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar Agora
×